Curiosidade: Com menor isolamento relacionado à pandemia, dados da Nielsen Music/MRC apontam recuo no consumo de plataformas on-demand

Tudo Rádio - Internacional

Quarta-Feira, 26 de Agosto de 2020 @ 13:04


 


São Paulo - Os dados se referem ao mercado dos Estados Unidos, entre 10 a 14 de junho de uma amostra representativa de 1.050 consumidores com 13 anos ou mais


 


Se em tempos do auge de isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus as pessoas passaram a consumir um maior volume de conteúdos digitais, uma pesquisa americana mostra que, com a maior circulação de pessoas naquele país, os consumidores agora estão gastando mais tempo ao ar livre e menos tempo com plataformas on-demand. Os dados se referem entre 10 a 14 de junho e fazem parte da quinta edição da série de pesquisas COVID da Nielsen Music/MRC Data -19: Rastreando o impacto no cenário do entretenimento, os consumidores.


A pesquisa leva em conta o comportamento nos Estados Unidos e aponta que o consumo com atividades como mídia social, TV e videogames vêm diminuindo e dando maior espaço a atividades ao ar livre. A explicação se deve pelo fato da volta da circulação de pessoas, o que faz com que os hábitos de consumo normais voltem a imperar e influa na relação ao consumo de plataformas durante os períodos de isolamento. 


A série de pesquisas  COVID da Nielsen Music/MRC Data -19 mostra ainda que as pessoas também estão cada vez mais interessadas em voltar aos eventos ao vivo em um futuro próximo.


O estudo mostrou também que, com a reabertura das lojas, as vendas de música aumentaram significativamente. O streaming de áudio e vídeo também se recuperou após uma queda significativa no auge dos protestos Black Lives Matter, que ganharam prioridade nas conversas nacionais e levaram milhões de norte-americanos às ruas.


A Nielsen Music/MRC Data elencou cinco principais conclusões dos resultados do novo relatório, cujo dados foram coletados de 10 a 14 de junho de uma amostra representativa de 1.050 consumidores americanos com 13 anos ou mais. As constatações indicam que embora a transmissão geral ligada ao streaming tenha caído no início de junho, tanto o áudio quanto o vídeo agora voltaram ao normal. 


Apesar disso, novas assinaturas de streaming de vídeo caíram conforme os americanos voltaram à vida normal. Ainda se tratando de opções de entretenimento ligadas a streaming, o interesse pelas transmissões ao vivo manteve-se estável desde o início da pandemia e são consideradas uma escolha popular.


As conclusões dos resultados do novo relatório também elencaram que as pessoas estão cada vez mais dispostas a participar de eventos ao vivo, embora o tamanho da multidão continue sendo uma preocupação e que o varejo está em recuperação.


 


Com informações da Billboard e da Nielsen

Voltar