Celso Freitas: com 50 anos de jornalismo, faz nova história no podcast

Comunique-se - Comunicação


 



Julia Renó


Com 50 anos de carreira, o jornalista e âncora da Record, Celso Freitas, se tornou uma referência para a profissão. Nesse período, ele presenciou grandes mudanças nas redações e estúdios, como a chegada do computador, o início da internet e, hoje, a necessidade de trabalhar em casa. Em todos os momentos, ele se destacou por uma característica: a capacidade de adaptação às novas tecnologias. Não é atoa que Celso é chamado de ‘profissional multiplataforma’.


Sua carreira teve início em 1970, aos 16 anos, quando estreou no rádio em Criciúma (SC). Como rádio escuta, Celso cobriu fatos históricos e começou a se envolver com jornalismo, e considera ter sido ‘contaminado’ pela profissão.


A faculdade fez parte de sua trajetória apenas quando já era apresentador televisivo da Globo, por uma exigência da emissora. Para ele, o momento foi importante para aprofundar seus conhecimentos sobre jornalismo e entender sua responsabilidade. Mas foi com os colegas de profissão que recebeu dicas e aprendeu técnicas essenciais.


Neste texto, serão pontuadas algumas dicas reveladas pelo jornalista. A íntegra da conversa, em podcast, está disponível no final deste texto. Ele conta mais detalhes sobre a carreira e como imagina o futuro da profissão.


Contar notícias


Recebido há décadas e jamais esquecido, o conselho foi dado pelo jornalista Eron Domingues a Celso Freitas. Ele explica que, mais do que apresentar, o jornalista deve saber contar um fato de modo sensível e compreensível para o público.


“Você tem que ser didático sem ser professoral, tem que ser claro e ter a sensibilidade de que nem todo o mundo tem o conhecimento das coisas que você está contando. Eu aprendi ao longo da minha carreira que sou um contador de notícias”, revela.


Além disso, o jornalista ressalta que é importante conquistar o público com simpatia e transmitindo empatia. “É a qualidade do espectador sentir em você o que ele está sentindo com a notícia que acabou de receber. É a sua expressão, o tom da voz. E com o passar do tempo, vira carisma”.


Integrar a informação


Com a internet, o jornalista está cada vez mais próximo do público. E é assim que deve ser. Para ele, a tendência é que, cada vez mais, seja exercido o papel de ‘integrador de informação’.


“Houve um tempo em que a gente era um ditador da informação e não permitia que aquela pessoa que estivesse recebendo a informação contestasse ou acrescentasse algo relevante ao que você acabou de passar. Hoje, com a interação, a participação, a oportunidade e recursos que a gente tem, quanto mais você abrir oportunidade para a pessoa agregar o conhecimento dela a algo que você acabou de transmitir, a informação e o trabalho se tornam mais valiosos”, avalia.


Adaptar-se às tecnologias


Uma grande característica da carreira de Celso Freitas é a adaptação. Para ele, momentos como a pandemia devem ser bem explorados pelos meios e pelos jornalistas. É o que ele tem feito em seu novo podcast, o ‘JR 15 Minutos com Celso Freitas’.


No programa, ele realiza entrevistas online com especialistas e mostra como podemos adaptar o jornalismo às possibilidades da internet, mudança que deve ser permanente. “É claro que o presencial vai continuar existindo, mas não na frequência que a gente tinha. Eu acho que as pessoas vão saciar essa vontade do presencial pela oportunidade da velocidade de você acessar a informação através da tecnologia”, explica.


Para ele, o momento deve ser explorado pelos grandes veículos como uma oportunidade de utilizar o status de referência em um novo meio. Nesse cenário, ele avalia que as grandes corporações, em muitos casos, estão deixando de enxergar seu potencial.


Ouça este post


A conversa com Celso Freitas foi ao ar na quarta-feira (2), na 251ª edição do Podcast-se. Você pode ouvi-la abaixo.


 


O Podcast-se é o podcast oficial do Grupo Comunique-se. Está no ar há mais de três anos e já tem mais de 200 episódios no ar. Figura entre os top-10 podcasts de Marketing do Brasil segundo o ranking de audiência do Chartable. Está disponível nas principais plataformas, como SpotifyApple PodcastsGoogle Podcasts e outras.

Voltar