Smart speakers: Google avança em participação de mercado nos Estados Unidos. Apple também cresce

TUDO RÁDIO

Terça-Feira, 24 de Agosto de 2021 @ 07:29


São Paulo - Google aparece na liderança no segundo trimestre de 2021, mas Amazon mantém a ponta se considerado todo o período do ano. Os dados são da pesquisa Omdia


Está quente a disputa entre as gigantes do setor de tecnologia quando o assunto é a venda de caixas de som com inteligência artificial, conhecidas também como smart speakers. O assunto, que interessa diretamente o meio rádio (beneficiado diretamente pelo consumo de streaming de áudio nesses dispositivos), contou com uma reviravolta no segundo trimestre de 2021: as caixas do Google assumiram a liderança do mercado dos Estados Unidos, superando a Amazon. A Apple, que chegou tarde na disputa, também contou com um crescimento expressivo.


O relatório é da empresa de pesquisa Omdia, com sede em Londres, mas que aferiu os resultados do mercado dos Estados Unidos, este que é considerado o maior para dispositivos como as smart speakers. Segundo os dados, o Google superou a Amazon em cerca de 800 mil remessas, significando um share de 41.8%, contra 33.6% da agora segunda colocada.


Para se ter uma ideia dessa variação, segundo a Omdia, no segundo trimestre de 2020 a liderança da Amazon era de 56.9% no share, contra 32.9% do Google. Ou seja, a variação positiva da nova líder de mercado foi de 47,8% na comparação entre os dois períodos (segundo trimestre de 2021, contra o mesmo período do ano anterior).


Porém, se considerados os resultados dos dois primeiros trimestres de 2021, a liderança segue com a Amazon, com 42% de share (partilha de mercado), contra 37% do Google.


Chegou atrasado, mas…


 


A Apple, que entrou bem depois neste mercado em relação a Amazon e o Google, está chamando atenção com o seu rápido crescimento nos Estados Unidos. A maçã, que conta com os dispositivos HomePod e HomePod Mini (este último que visa impulsionar a marca no mercado de smart speakers) tiveram um crescimento de 180% na comparação entre o segundo trimestre deste ano contra o mesmo período em 2020. Com isso, a Apple foi de 10.2% de participação no ano passado (2Q) para 24.6%.



 


O que isso representa para o rádio?


A briga entre as gigantes de tecnologia é algo positivo para todo o ecossistema interessado no avanço das smart speakers. O dispositivo tem revitalizado o consumo de rádio em residências e a maior adoção do equipamento por parte da população pode ser benéfico para o meio.


Porém, depender de mais de um sistema operacional para distribuição de seu conteúdo, pode ter vantagens e desvantagens. A vantagem é não ficar "refém" de uma só empresa hegemônica no segmento e o problema é a necessidade de embarcar o streaming em mais sistemas operacionais distintos.


As caixas de som inteligentes crescem em consumo no mundo inteiro e já impactam diretamente na audiência digital do rádio. A norte-americana Cumulus Media já destacou o tamanho que as smart speakers representam em sua audiência via streaming, caso semelhante da brasileira Antena 1 em relação à Alexa, da Amazon.


 


Daniel Starck

Voltar