Propaganda sem estratégia não funciona

PROPMARK

Uma ideia criativa, sem uma estratégia embasada e robusta, não funciona


Por Elan Correia


14 de setembro de 2021 | 10:00


 


Foi-se o tempo em que uma ideia genial bastava para transformar uma campanha em sucesso e gerar resultados para os clientes.


Com o aperfeiçoamento do marketing dentro das empresas, gestores buscam cada vez mais utilizar métricas claras para medir os resultados de suas campanhas e, dia após dia, uma coisa fica clara: uma ideia criativa, sem uma estratégia embasada e robusta, não funciona.


Neste novo cenário, as agências vêm cada vez mais buscando se profissionalizar em setores como planejamento e inteligência de mercado para realizar uma entrega estratégica de alto nível, acompanhando ideias também criativas, e somando-as a outras frentes que também se desenvolveram dentro dos clientes, como o trademarketing e o digital.


Essa soma de expertises, sim, é o que gera os resultados tão esperados.


Afinal, se é no digital onde está grande parte da atenção das pessoas, e no PDV é onde a decisão de compra acontece, a especialização nessas áreas é fundamental.


Com esse desenvolvimento interno das agências, os profissionais entenderam que precisavam acompanhar este movimento, por isso cada vez mais se aprimoram em suas áreas para realizar entregas de excelência.


Hoje, vemos profissionais de altíssimo nível espalhados por todo o Brasil, além
de uma migração de talentos para além
das grandes agências nacionais e internacionais.


Neste movimento de aperfeiçoamento de profissionais, de agências e do mercado como um todo, é cada vez mais perceptível uma descentralização das grandes contas, que passaram a encontrar agências talentosas e bem estruturadas em outros estados e no interior do Brasil, não apenas nas grandes capitais.


Com grandes marcas, principalmente indústrias, espalhadas por todos os cantos do país, estas empresas estão apostando cada vez mais em um atendimento local, de agências que conhecem a empresa mais a fundo e possuem a seu favor a agilidade e a facilidade do atendimento mais próximo, além de uma estrutura capaz de absorver novas demandas.


O cliente mudou, e quem não acompanhar essas mudanças ficará fora do jogo, pois não há mais espaços para achismos ou soluções sem um mínimo de dados para dar embasamento.


Até mesmo o famoso “feeling” publicitário está sendo colocado à prova quando ele, sozinho, é o melhor que uma agência consegue entregar.


Por outro lado, as agências que conseguirem entender que a estratégia é hoje um dos principais ativos que podem entregar ao cliente, e contam com profissionais atualizados e em conexão com a realidade, os problemas e objetivos do cliente, sem dúvidas, terão acesso a grandes oportunidades, de grandes marcas, independentemente de onde estejam.


Elan Correia é presidente do Sinapro-SC (elan@fullgaz.com.br)


Por


 


Elan Correia

Voltar