Consulta Pública sobre interesse em novas outorgas de radiodifusão comercial segue aberta até 26 de junho

TUDO RÁDIO

Sexta-Feira, 06 de maio de 2022 @ 10:47


Brasília - Medida pretende confirmar o interesse das empresas de radiodifusão na plataforma SisRD


A Consulta Pública que pretende confirmar o interesse das empresas de radiodifusão em novas outorgas de radiodifusão comercial segue aberta até 26 de junho. A medida foi publicada no dia 25 de abril e segue recebendo sugestões sobre o lançamento de editais de licitação de serviços de radiodifusão Frequência Modulada (FM) e de sons e imagens (TV).


"Antes da elaboração de novos editais, o MCom realiza um planejamento prévio, no qual uma das primeiras informações a serem consideradas é o grupo de localidades nas quais as empresas possuem interesse em prestar seus serviços", apontou o secretário de Radiodifusão, Maximiliano Martinhão. As localidades que receberem manifestações válidas dentro do prazo estipulado serão consideradas preferencialmente na publicação de futuros editais.


Para registrar a sugestão, as empresas de radiodifusão interessadas devem acessar o endereço https://www.gov.br/mcom/pt-br/acesso-a-informacao/participacao-social, na aba "Audiências e consultas públicas", para preencher o formulário de participação. Localidades não listadas também podem receber indicações por meio da plataforma SisRD. Todas as manifestações devem identificar o CNPJ da empresa solicitante, a localidade em que possui interesse na abertura de edital e o serviço a ser prestado.


A necessidade da consulta pública se dá em função de existirem manifestações já registradas anteriormente na plataforma SisRD que ainda não foram atendidas por edital de licitação. Desta forma, deve-se verificar se ainda perdura o interesse manifestado anteriormente pelos radiodifusores.


Segundo o secretário, o planejamento para novos editais de radiodifusão comercial é parte de um esforço do MCom para otimizar a dinâmica do setor de radiodifusão comercial. A ação foi iniciada com disponibilização da consulta pública em conjunto com a recente publicação da Portaria 5.256/2022, que regulamenta o parcelamento das outorgas.


Carlos Massaro


 


 

Voltar