ATAQUES CIBERNÉTICOS RANSONWARE ATINGIRAM 2.686 CASOS EM ÓRGÃOS FEDERAIS EM 2021

TELE.SÍNTESE

 TALLES REZENDE 30 DE MAIO DE 2022


 


Governo tem desenvolvido formas de se proteger contra-ataques cibernéticos, porém, mesmo assim, são mais de 12.376 ataques sofridos por entidades brasileiras



 


Infographic vector created by Eightonesix – Freepik.com


 


Hoje, 30, começou a semana 1º Semana de Proteção de dados Pessoais, um evento de iniciativa do Programa de Privacidade e Segurança da Informação (PPSI) da Secretaria de Governo Digital, do Ministério da Economia, para tratar sobre segurança cibernética. O evento trouxe uma série de palestras que falam sobre a importância da segurança cibernética no mundo digital, em meio a tantos ataques cibernéticos.


Segundo Leonardo Rodrigo Ferreira, diretor do DPSI (Departamento de proteção de Dados e Segurança da informação), são mais de 12.376 ataques cibernéticos, em média, por instituição a cada semana. O diretor revela que em um ataque cibernético, o hacker fica aproximadamente 200 dias observando e analisando o fluxo de dados da pessoa. E ainda mostrou que um ataque cibernético, pode gerar, em média, um prejuízo na ordem de US$ 3,86 milhões.


De acordo com dados divulgados na palestra da 1º semana de proteção de dados pessoais, somente em 2021, foram detectados 2.686 ataques de ransonware que resultaram em vazamentos de dados, e muitos, com vazamentos de dados pessoais. “Essa é a modalidade de invasão mais comum que existe, onde os dados são criptografados e muitas vezes negociados com o dono dos dados por meio de extorsão”, ressaltou Ferreira.


Diante deste cenário, o diretor da DPSI alerta que são necessárias políticas públicas que precisam continuar sendo implementadas. Ferreira ressalta que o departamento criou o Programa de Privacidade e Segurança da Informação que tem como objetivo elevar a maturidade e a resiliência em privacidade e segurança da informação dos órgãos.


 


“A criação de um framework de privacidade de segurança da informação está sendo desenvolvido em conjunto com a ANPD, GSI, TCU, CGU e entidades privadas onde nós já temos um conjunto mínimo de controles que já são relevantes para fazer essa segurança e a partir dos próximos anos nós já teremos toda a administração pública olhando só em uma direção para um conjunto de alvos, metas a serem alcançados para ser entregue em julho de 2022. Hoje, nós usamos o CIS 8 que é uma referência cibernética, usada nos Estado Unidos, e utilizada também pelo TCU, CGU e Autoridade Nacional de proteção de Dados. É um trabalho muito desafiador para que faça sentido para esses 235 órgãos”, ressaltou Ferreira.

Voltar