Celular reina, TV conectada cresce, computador some: como o Brasil usa internet

CONVERGÊNCIA DIGITAL

O novo retrato do uso da internet no Brasil, pela pesquisa TIC Domicílios 2021, mostra que o smartphone segue o reinado absoluto como principal dispositivo de navegação (99% dos lares). A novidade é que a televisão deixou o computador (36%) para trás como segundo meio mais comum de uso da internet nos lares brasileiros (50%). 


“Enquanto o computador foi o principal dispositivo utilizado para internet até 2014, o celular, com o surgimento dos smartphones, se tornou predominante, com 99%. E vale considerar que parte dos novos usuários são exclusivos do celular. Já vemos que nas faixas mais novas da população, 10 a 15 anos, o uso exclusivo de celular é maior. E a televisão já vinha crescendo e se tornou o segundo dispositivo mais usado para conexão a internet no Brasil”, resumiu o coordenador da TIC Domicílios, Fabio Storino. 


Mas a pesquisa também revela um crescimento importante no uso da internet na outra ponta demográfica. Entre 2019 e 2021, o principal aumento no uso foi entre pessoas com mais de 45 anos: alta de 12 pontos no grupo de 45 a 59 anos e de 15 pontos percentuais na população com mais de 60 anos. Como resultado, em 2021 esses grupos concentraram o uso da internet (70% e 80%, respectivamente) pelo smartphone. 


O coordenador de pesquisas do Cetic.br, Fabio Senne, lembra, no entanto, que apesar das variadas atividades possíveis pelo celular, o acesso à internet exclusivamente pelos dispositivos móveis ainda representam limitações de uso. 


 


“Percebemos que aqueles que trabalhavam online só pelo celular tinham maiores dificuldade de teletrabalho. E no caso da educação, aquilo que tem relação com produção de conteúdos, produção de textos, tem menores condições para quem declara uso apenas de telefone celular”, disse. 


Segundo a pesquisa, as principais atividades online são enviar mensagens e conversar, usar redes sociais, ver filmes, programas ou séries, ouvir músicas e podcasts, ler, acompanhar transmissões de áudio ou vídeo em tempo real, além de transações financeiras. 


“O maior aumento desde 2019 foi o crescimento de 13 pontos percentuais no uso da internet para fazer transações financeiras. Aqui entendemos que houve impacto do Auxílio Emergencial e do PIX, sistema que teve uma adoção muito rápida e atingiu uma população que não era bancarizada”, apontou Storino. 


 


Outro destaque é para a audiência dos podcasts. Segundo a nova edição da pesquisa TIC Domicílios, entre os anos de 2019 e 2021 passou de 17,7 milhões para 41,2 milhões o número de usuários da internet que ouviram podcasts. 


• Veja a pesquisa completa em https://cetic.br/pt/pesquisa/domicilios/

Voltar