MinC anuncia R$ 471 mi para cinema e TV

Folha de S. Paulo-Ilustrada

Pasta promete agilidade e desburocratização e garante aumento no financiamento automático a produtores 


    13.mar.2018 às 2h00


  MARCO AURÉLIO CANÔNICO


 


Rio de Janeiro 



 


O ministro Sérgio Sá Leitão (Cultura) - Marcus Leoni/Folhapress


Numa tentativa de agilizar a distribuição de dinheiro para o audiovisual brasileiro, o Ministério da Cultura anunciou nesta segunda-feira (12) mudanças em editais financiados pelo Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e um investimento de R$ 471 milhões em cinema (produção, distribuição e exibição) e TV (produção).


O anúncio foi feito pelo ministro Sérgio Sá Leitão e pelo diretor-presidente da Ancine (Agência Nacional do Cinema, uma autarquia do MinC), Christian de Castro, em cerimônia no Cine Odeon, no Rio de Janeiro.


Gerido por um comitê que reúne profissionais do setor e do governo, o FSA vem arrecadando cerca de R$ 1 bilhão por ano desde 2012, mas investe no mercado menos de 40% desse montante.


Entre as mudanças está o aumento do financiamento automático a produtores de cinema (R$ 150 milhões) e de TV (R$ 120 milhões).


Nessa modalidade de fomento, não se julga o projeto (filme, série etc.) --como acontece nos editais de seleção--, mas o desempenho comercial ou artístico da empresa.


Mudanças


As mudanças foram discutidas no Comitê Gestor do FSA. "São pleitos antigos do setor", disse Sá Leitão.


"Nós vamos aumentar muito o volume de recursos no audiovisual, além de aumentar a agilidade do fundo, fazendo com que os recursos cheguem mais rapidamente ao caixa das empresas, para que elas possam investir nos projetos."


O FSA também bancará R$ 70 milhões em produções independentes para televisões públicas das cinco regiões.


Do orçamento da Ancine sairão R$ 3 milhões para pequenos exibidores, numa linha automática que tem como objetivo ampliar a quantidade de filmes nacionais exibidos anualmente.


Os R$ 471 milhões em investimento anunciados nesta segunda ainda fazem parte do plano de investimento do ano passado.


"Com os novos processos que estamos estabelecendo na Ancine, desburocratizando o regulamento, queremos diminuir pela metade o prazo de seleção e execução desses projetos. Por isso, esperamos executar esse volume de recursos ainda neste ano", disse Christian de Castro.


Em fevereiro, o MinC já havia anunciado investimentos de R$ 80 milhões em 11 linhas para filmes, séries e jogos eletrônicos, com cotas para minorias, operadas pela Secretaria do Audiovisual.


Segundo o ministro Sá Leitão, novas linhas de financiamento controladas pela Ancine, também com recursos do FSA, serão lançadas no dia 30 de abril.


"Nossa expectativa é investir mais de R$ 1 bilhão no desenvolvimento do setor audiovisual brasileiro neste ano", disse o ministro.


 


Ele afirmou ainda que a Ancine lançará novas linhas para infraestrutura, formação e capacitação, games, atração de produções e coproduções internacionais.

Voltar