NOTA DE REPÚDIO

 


A ASSOCIAÇÃO DAS EMISSORAS DE RÁDIO E TELEVISÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO – AESP vem a público externar sua indignação e veemente repúdio, diante da infeliz manifestação do Excelentíssimo Desembargador Ivo Sartori, Presidente da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, ao insinuar que o dinheiro do crime organizado financia a imprensa de São Paulo.


Em nome de suas associadas, a AESP reitera que o compromisso das emissoras de rádio e televisão do Estado de São Paulo é a prestação de serviço à sociedade, de forma livre e gratuita, pautando suas ações pelo dever de informar de maneira isenta e imparcial, em respeito aos princípios democráticos da Constituição Federal.


As emissoras de rádio e de televisão paulistas sempre se colocaram ao lado dos cidadãos de bem, acompanhando-os ao longo do dia, em suas casas, automóveis e locais de trabalho, comprometidas com sua missão de levar a todos informação e entretenimento, em respeito aos valores sagrados da liberdade de imprensa e de acesso à informação, tão necessários para a construção de uma sociedade justa e igualitária.


Por esse motivo, a AESP rechaça veementemente qualquer ilação ou insinuação de quem quer que seja, que, sem nenhuma base na realidade, coloque em dúvida a isenção e o compromisso social das emissoras do Estado de São Paulo.


Lamenta-se, outrossim, que um membro do Poder Judiciário, e, nesta qualidade, um guardião das leis, possa valer-se de sua posição para lançar acusações vazias à imprensa paulista, que há décadas dá prova de cumprir sua função de informar com isenção e imparcialidade os cidadãos do Estado de São Paulo.


Qualquer ataque à imprensa é um ataque à liberdade de expressão e, consequentemente, à democracia. Por isso, a AESP manifesta sua indignação e seu repúdio, esperando que não tarde uma retratação formal.


 


Paulo Machado de Carvalho Neto
Presidente
AESP – Associação das Emissoras de Rádio e Televisão do Estado de São Paulo

Voltar