TVs e telefônicas decidem adiar apagão analógico no interior de SP e Nordeste

Notícias da TV-Televisão

Antonio Cruz/Agência Brasil

A manicure Maria Martins, beneficiária do Bolsa Família, recebe kit de TV digital em Brasília


DANIEL CASTRO - Publicado em 19/04/2017, às 16h00


Órgão que reúne emissoras de TV, companhias telefônicas e membros do governo, o Gired decidiu nesta quarta-feira (19) em reunião em Brasília adiar o apagão analógico nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza, Campinas, Santos, Ribeirão Preto, Franca e Vale do Paraíba, no interior de São Paulo. Foram mantidos os cronogramas para o Rio de Janeiro, Recife e Vitória.


Previsto para ocorrer em 26 de julho, o desligamento dos transmissores de TV analógica em Salvador e Fortaleza foi remarcado para setembro. Em Belo Horizonte, foi adiado para novembro. No interior de São Paulo, o apagão ocorreria em 27 de setembro. Ficou para o final de novembro.


O adiamento foi pedido pela  EAD (Entidade Administradora do Processo de Redistribuição e  Digitalização de Canais de TV e RTV), ligada às companhias telefônicas, que têm interesse no processo porque vão explorar com telefinia móvel as frequências a serem desocupadas pelas emissoras.


A EAD argumentou que não tem condições de distribuir os 5 milhões de kits conversores previstos para essas cidades até o final do ano. Esses kits contêm antena e conversor do sinal digital para televisores analógicos e são financiados pelas empresas telefônicas que irão herdar os canais das TVs.


Devem ser distribuídos a todos os beneficiários de programas sociais do governo federal, como o Bolsa Família, reduzindo ao mínimo possível a população sem acesso à TV após o apagão analógico.


Apesar do adiamento, foi mantido o calendário de ativação da tecnologia 4G/LTE em 2018.


Emissoras de TV também defenderam a mudança no calendário devido a "problemas técnicos" para a instalação de transmissores digitais em Belo Horizonte e no interior de São Paulo. Afiliada do SBT, a TV Alterosa está com a digitalização atrazada. A Globo de Minas informa que falta instalar alguns retransmissores digitais. A Abratel, entidade que representa a Record, foi contra o adiamento.


A EAD também queria postergar o apagão analógico no Recife, mas o Gired manteve a previsão para 26 julho. O desligamento nas regiões metropolitanas do Rio de Janeiro e Vitória foi mantido para 25 de outubro.


Para ter efeito, a decisão do Gired (Grupo de Implantação do Processo de Distribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV) ainda depende de portaria do ministro Gilberto Kassab (de Ciências, Tecnologia, Inovações e Comunicações). A tendência é o ministro acatá-la.


 


A TV analógica já foi desligada no Distrito Federal, em novembro, e na Grande São Paulo, em 29 de março. A próxima cidade será Goiânia, no final de maio.

Voltar