MCTIC realiza cerimônia de assinatura para migrantes no Paraná

Tudo Rádio-Notícias do Rádio

Segunda-Feira, 05 de Junho de 2017 @ 13:07


Curitiba - 45 emissoras assinaram o termo aditivo que autoriza a mudança de frequência. São Paulo será no dia 23


Quarenta e cinco emissoras de rádio do Paraná deram um importante passo para a migração de AM para FM, na manhã desta segunda-feira (5). Em evento no Palácio Iguaçu, na capital, os radiodifusores assinaram com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) o termo aditivo que garante a mudança de faixa. São Paulo também terá a cerimônia, prevista para o dia 23.


A mudança é uma reivindicação dos radiodifusores de todo o país, que com o crescimento urbano vêm sofrendo com a perda de estabilidade do sinal. Participaram da solenidade, o Ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, o Governador do Paraná, Beto Richa, o presidente da AERP, Alexandre Barros, o presidente do SERT/PR, Caique Agustini, o membro do Conselho de Administração da ABERT, Daniel Pimentel Slaviero, além dos radiodifusores e empresários do meio. 


 



Radiodifusores paranaense assinam os contratos da migração AM-FM / foto: AERP


Durante o evento, os proprietários das emissoras assinaram o termo aditivo que adapta as outorgas de concessão e autoriza a mudança de frequência. O ministro Gilberto Kassab ressaltou que a migração de AM para FM irá trazer mais confiança e investimentos, que se transformarão em informação com maior qualidade. "A modernização permite, além de um som de melhor qualidade, mais segurança para que os radiodifusores possam investir mais”, ressaltou. 


Segundo o governador Beto Richa, há bastante tempo o estado está em sintonia com os interesses da radiodifusão. “Em 2015 foi lançado, pela Fomento Paraná, uma linha de crédito que possibilita com esses recursos da migração e amodernização das rádios do Paraná. Inclusive com a digitalização podemos modernizar e garantir mais qualidade na radiodifusão em todo o pais.


Também prestigiaram a solenidade a vice-governadora, Cida Borghetti; o ministro da Saúde, Ricardo Barros; o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni; o deputado federal,  Sandro Alex; o presidente do BRDE, Orlando Pessuti e os ex-presidentes da Aerp Paulo Pimentel (ex-governador do Paraná) e Dr. João Lydio Seiler Bettega.


 



Alexandre Barros (presidente da AERP) ao lado de Beto Richa (governador paranaense) durante a cerimônia de assinatura do termo aditivo da migração AM-FM / foto: AERP


Maior faturamento


A migração para a frequência FM é uma reivindicação dos radiodifusores de todo o país. “A mudança de faixa garante mais qualidade do sinal e a possibilidade de sintonia em celulares e tablets, os quais podem gerar melhores resultados em audiência e faturamento. Além disso, reforça o nosso trabalho de valorização do meio rádio, democrático, gratuito e acessível a todos", afirmou o presidente da AERP, Alexandre Barros.


Para o presidente do SERT/PR, Caique Agustini o meio rádio e o ouvinte irão ganhar. “A migração da faixa AM para FM revigora a força do rádio. Os ouvintes irão ganhar com mais qualidade de áudio e diversidade de conteúdo", frisou. 


O tudoradio.com fez um levantamento recentemente sobre as migrantes que já estão no ar por todo o Brasil. 


Com informações da AERP e colaboração de Daniel Starck


 


Carlos Massaro

Voltar