Cabo Brasil-Europa ficará para 2020

Teletime-News

terça-feira, 12 de junho de 2018 , 11h37


BRUNO DO AMARAL | bruno@teletime.com.br


A operadora de cabos submarinos EllaLink, joint-venture entre a EulaLink (antiga Islalink, com 65%) e Telebras (35%), assinou memorando de entendimento com a Cabo Verde Telecom para entregar uma ramificação do cabo Brasil – Portugal. Com isso, o sistema terá uma rota conectando também Cabo Verde e Madeira. Porém, a companhia anunciou nesta terça-feira, 12, que o sistema estará operacional apenas em 2020, e será a única conexão direta entre Europa e América Latina, oferecendo acesso à capacidade para Internet, cloud e serviços 5G nas regiões.


A nova previsão é mais um adiamento no cronograma da companhia. Em abril do ano passado, a promessa era de lançamento para 2019. O sistema de rota de 9,2 mil km (além de backhaul terrestre de 1,5 mil km) está sendo construído pela Alcatel Submarine Networks (ASN) e oferecerá 72 Tbps de capacidade por meio de quatro pares de fibras. A EllaLink reservou landing sites em Santos (SP) e Fortaleza, no Brasil; e em Sines, em Portugal.


 


"Nós saudamos a oportunidade de conectividade adicional de fibra para nossas ilhas e acreditamos que a nova infraestrutura vai reforçar as capacidades de Cabo Verde como um hub de telecomunicações estratégico com acesso direto à Europa e às Américas", disse em comunicado o CEO da Cabo Verde Telecom, Jose Luis Livramento. O chairman da EllaLink, Alfonso Gajate, disse que o compromisso representa outro "grande passo" em direção à construção "e a confirmação que a conectividade melhorada entre Europa e América Latina agora é necessária".

Voltar