Setor de eletroeletrônicos cresce abaixo do esperado

Meio & Mensagem-Marketing – Eletroeletrônicos

Desvalorização cambial, eleição e greve dos caminhoneiros são causas apontadas pela Eletros como responsáveis pela revisão de expectativa


Salvador Strano
10 de outubro de 2018 - 10h41


A Eletros, entidade que representa o setor de eletroeletrônicos no Brasil, revisou para baixo a retomada do crescimento do segmento para este ano. Antes, a associação previa uma cifra positiva em torno de 15%. Agora, segundo José Jorge do Nascimento Junior, presidente da Eletros, a previsão mais otimista chega a 8%.


Entre as causas para a desaceleração, o executivo aponta a greve dos caminhoneiros, que aconteceu em maio, a desvalorização cambial em relação ao dólar e a incerteza sobre a eleição presidencial. “O consumidor ainda não saiu da preocupação do pós-crise”, afirma Nascimento. Por conta disso, ainda não há confiança para que volte a fazer compras a prazo.


O papel do marketing, neste cenário, é mitigado pela crise econômica, diz Nascimento. “Não adianta eu fazer um apelo no ponto de venda se, quando saio da loja, o ambiente econômico e social do País é outro. Hoje, o grande apelo é fazer com que o consumidor tenha confiança em voltar a consumir. Para isso, precisamos da volta da normalidade”.


Para 2019, Nascimento acredita que um resultado positivo depende de um bom desempenho no último semestre deste ano. “Precisamos ter a certeza sobre qual plano acontecerá para o País. Estamos trocando o pneu com o carro andando”.


 


 

Voltar