Kassab vai defender manutenção da Telebras a Bolsonaro

Telesíntese-Plantão – MCTIC

Miriam Aquino 1 de novembro de 2018


Para o atual ministro, a Telebras é estratégica, e deve permanecer estatal.



 


 


O ministro de Ciência Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, afirmou hoje, 1, que irá defender ao governo Bolsonaro a manutenção da estatal Telebras. Conforme informações, haveria a intenção de privatizar novamente a Telebras, e remanejar o seu satélite SGDC para a pasta da Defesa. “Se  me ouvirem vou mostrar a importância da Telebras, a importância para o Brasil. Como é um governo bem intencionado, vai entender que os serviços prestados da Telebras nenhuma outra instituição, pública ou privada, prestará. Vou levar minha opinião de que ela é imprescindível para a nação brasileira com o novo satélite, que teve custo mas que será recuperado com as receitas vindas dessa operação. Ninguém está habilitado como ela neste curto prazo a fazê-lo”, afirmou o ministro.


Kassab comemorou também a decisão do TCU de liberar o satélite da estatal e disse que a Telebras vai recomeçar imediatamente a instalar as antenas de banda larga. Segundo o presidente da Telebras, Jarbas Valente, a Telebras já pode começar a instalar a infraestrutura para o Gesac, mesmo que o Tribunal tenha decidido por modificações no contrato com a Viasat. “Vamos renegociar, mas o TCU apresentou valores como sugestão, e não como obrigação”, afrmou. Ele pretende começar por Roraima.


Ontem o TCU deu sinal verde para a continuidade do contrato com a operadora norte-americana Viasat, com base na nova Lei das Estatais, mas mandou que fosse reduzido o valor a ser pago pela Telebras para a empresa instalar as antenas de banda larga, e que se aproximassem os ganhos entre as duas empresas na partição de receita.


Infraestrutura


Para o ministro, o segmento de Comunicações poderá ser bem acolhido no ministério da Infraestrutura ou poderá permanecer também na Ciência e Tecnologia, que vai receber também a gestão do ensino superior. Ele acha que faz sentido reunir as  universidades nessa pasta, visto que são elas atores importantes da inovação no país.


Kassab disse ainda que a indicação do novo presidente da Anatel, Moises Moreira, cuja sabatina do Senado está marcada para o próximo dia 6 de novembro, foi feita pelo presidente Michel Temer antes das eleições, em resposta {a pergunta do repórter se ele iria abrir mão da indicação, após o apelo do presidente Bolsonaro para que os cargos das agências reguladoras vagos não fossem ocupados.


 


 

Voltar