Nota de falecimento

A AESP Associação das Emissoras de Rádio e Televisão do Estado de São Paulo expressa profundo pesar pelo falecimento do jornalista Ricardo Boechat e solidariza-se com a sua família, amigos e ao Grupo Bandeirantes diante da prematura e irreparável perda.


 


Ricardo Boechat tornou-se uma referência para os ouvintes e telespectadores, foi um jornalista que transmitia ética e coerência.


 


Apaixonado pelo ofício, apurava as notícias exaustivamente para o telejornal e no programa de rádio, garantindo sua credibilidade.


 


O jornalista iniciou sua carreira na década de 1970, como repórter do extinto jornal "Diário de Notícias". Em 1983, foi para o jornal "O Globo" e, quatro anos mais tarde, chegou a ocupar a secretaria de Comunicação Social no governo Moreira Franco, mas voltou para o jornal da família Marinho em 1989, como editor da coluna "Swann", que mais tarde, foi transformada em "Boechat".


 


Vencedor de vários prêmios, entre eles, o Esso, na categoria Informação Política, com Rodrigo França, em 1992; na categoria Informação Econômica, com Chico Otávio e Bernardo de la Peña, em 2001. Boechat também trabalhou nos jornais, "O Dia", "O Estado de S. Paulo" e "Jornal do Brasil".


 


Em 1997, o jornalista passou a ser destaque na Rede Globo, no qual fazia um quadro de opinião no matinal "Bom Dia Brasil". Sempre com notas de sua coluna que renderam pautas aprofundadas, sucesso e polêmicas. Deixou a Globo em junho de 2001.


 


Entrou para o Grupo Bandeirantes como diretor de Jornalismo no Rio. Em fevereiro de 2006, mudou-se para São Paulo, para ancorar o "Jornal da Band", principal noticiário da emissora. Desempenhava a mesma função no programa diário na rádio BandNews FM, transmitido para todo o Brasil.


 


Boechat parte deixando um legado de zelo e cuidado com as fontes e a firmeza de posições. Um olhar diferenciado sobre a importância do jornalismo na sociedade.


 


Paulo Machado de Carvalho Neto


Presidente

Voltar