Assistentes de voz como ferramenta de inovação para as mídias

SET

By Assessoria De Imprensa SET EXPO 


Por meio de um comando de voz atualmente é possível se dirigir a um dispositivo inteligente e pedir que ele informe as horas, previsão do tempo, o endereço de um local, escolher uma música e pedir para que ele procure programas para executá-la, pesquisar uma receita, procurar um vídeo ou filme ou mesmo comprar uma passagem área, entre tantas outras coisas. Tudo isso dizendo inicialmente apenas “Ok, Google”, “Hey, Siri” ou “Alexa”.


Esses são apenas alguns exemplos de como os assistentes de voz já fazem parte do nosso cotidiano. O tema será debatido no painel “Assistentes de Voz e Chatbots: A Nova Relação com o Consumidor”, que terá moderação de Marcelo Guerra, gerente de tecnologia em mídias digitais na TV Globo. O painel acontece das 14h às 15h20 do dia 28 de agosto próximo, dentro do 31º Congresso de Tecnologia e Negócios de Mídia e Entretenimento realizado pela SET, que integra a SET EXPO, o maior evento de tecnologia e negócios de mídia e entretenimento da América Latina.


“A voz sempre foi a forma mais natural da comunicação humana. Quando torna-se possível uma interação contínua e natural com máquinas usando voz, abre-se uma gama enorme de possibilidades.  Assistentes de voz irão fazer parte da sua vida em vários momentos, como em casa, no carro e nos celulares, e o impacto se estende – além dos consumidores– aos conceitos de marketing e criadores de conteúdo. Analisando os dados, vemos que o aumento do uso já é exponencial”, afirma Guerra.


Com Guerra estarão três palestrantes: José Nilo Cruz Martins, country manager Alexa Skills na Amazon, que falará sobre o Amazon Alexa; Luis Motta, UX Customer Success – Take; e o coordenador de mídias digitais na TV Globo, Eliseu Barreira Junior, que falará sobre “A Nova Jornada da Globo no Mundo dos Assistentes de Voz”.


A evolução dos assistentes de voz incluem também as caixas de som inteligentes, chamadas de smart speakers, dotadas de microfones para receber comandos dos usuários. Prova disso são os investimentos das tech companies, que criaram as suas versões do produto: Amazon Echo, no caso da Amazon; Google Home (Google), e HomePod (da Apple), entre outras. A consultoria Gartner, Inc. estima que esse mercado deve movimentar US$ 3,5 bilhões até 2021. E as novas gerações devem impulsionar esse consumo, segundo Guerra.


“A indústria de mídia precisa começar a pensar em conteúdo e metadados otimizados para pesquisas por voz. Existem oportunidades de inovação e monetização de conteúdo nesse formato, de engajamento dos consumidores. Um comportamento da era do rádio, que é a união das famílias ao redor do áudio, já é percebido novamente com o uso dos smart speakers (com assistentes de voz integrados). As novas gerações usarão a comunicação natural por voz mais do que qualquer outra”, diz.

Voltar