Publicidade em TV conectada chegará a US$ 7 bilhões

Meio & Mensagem - Mídia

Receita publicitária de plataformas como Hulu e Roku registrarão crescimento próximo a 40%, em 2019, de acordo com a eMarketer


 


Por Jeanine Poggi, do AdAge*


A publicidade em TV conectada em plataformas como Hulu e Roku tem projeção de crescer perto de 40% neste ano, se aproximando de um faturamento de US$ 7 bilhões, de acordo com a eMarketer.


Até 2021, a expectativa da consultoria é de que a receita atinja US$ 10 bilhões. Apesar do avanço, o montante ainda é uma fração dos US$ 70 bilhões movimentados pelos anúncios em TV linear.


YouTube, Hulu e Roku estão liderando o mercado. Segundo Eric Haggstrom, analista de previsões da eMarketer, os usuários dessas plataformas não têm histórico de assinatura de serviços de TV a cabo ou por satélite ou agora estão assinando pacotes reduzidos. Como resultado, os anunciantes estão ansiosos para alcançar esses novos telespectadores.


Esses serviços permitem aos anunciantes selecionar o público de forma mais precisa e eficiente, o que historicamente tem atraído as marcas para o digital. No entanto, ainda existem obstáculos impedindo os anunciantes de trocarem as verbas da TV linear para a TV conectada, como a mensuração.


“Não existe uma métrica comum aceita em todas as plataformas como na TV. Além disso, a segmentação, atribuição e recursos programáticos da TV conectada estão significativamente atrás dos das outras principais plataformas de anúncios digitais”, explica Haggstrom.


Soma-se a isso a entrada de vários novos serviços de streaming que não são suportados por anúncios, como Disney Plus, Apple TV Plus e HBO Max, o que se espera tornará as plataformas com anúncios menos atraentes para os consumidores.


A projeção de crescimento da base de usuários de TVs conectadas é de 5,3% em 2019 nos Estados Unidos, totalizando 195,1 milhões. Em 2020, o número ultrapassará 200 milhões. A plataforma Roku é a líder com 44,2% dos espectadores, seguida por Amazon Fire TV, Google Chromecast e Apple TV.


 


Tradução: Fernando Murad

Voltar