Legado deixado por Gugu Liberato vai além das tardes de domingo

Propmark - Mídia

Reconhecido pelo trabalho na televisão, apresentador também fez sucesso no universo empresarial, da publicidade e do marketing


Por Marina Oliveira


02 de dezembro de 2019 | 09:27


 


A inesperada morte de Gugu Liberato no fim de novembro gerou comoção entre os brasileiros. O apresentador, que estava há dez anos na Record TV, é símbolo de uma época em que a divisão da sociedade era menos sobre política e mais sobre números do Ibope.


Nos anos 1990, Gugu duelou com Faustão a audiência das tardes de domingo e foi em seu palco, no SBT, que o Brasil assistiu à construção de diferentes momentos icônicos da cultura popular, que agora fazem parte da memória coletiva (e dos memes) do país.



Além de fazer sucesso como apresentador, Gugu também foi um homem de negócios, tendo investido em diferentes frentes


 


Se hoje a rodada do Campeonato Brasileiro é realizada nas tardes de domingo, a responsabilidade – parcialmente – é de Gugu, já que a TV Globo mudou o horário do futebol para poder brigar com o Domingo Legal.
Mas não foi só em banheira, camiseta molhada e atrações musicais que o apresentador forjou sua carreira. Ele também era um homem de negócios. Foi sob a batuta de sua produtora, que deu vida a grupos como Dominó, Polegar e Banana Split.


Afonso Nigro, integrante da formação original do Dominó, ressaltou em suas redes sociais o lado empreendedor de Gugu. “Foi sagaz, visionário, ousado, pioneiro, inovador. Ele tinha tino para os negócios e um olhar marqueteiro raro.”



Créditos: Moacyr dos Santos


Nos anos 1990, Gugu chegou a ser sócio de Miguel Falabella e Klaus Ebone na casa noturna Fabbrica 5, na Mooca. Também teve uma empresa de exportação e importação de produtos como azeites e suco de banana para a Europa.


Outro fenômeno que levava seu nome era a rede de Lojas do Gugu, que vendia utilidades domésticas e toda a sua linha de produtos licenciados, de gibis a brinquedos.


Beto Carrero, habitué de seus programas no SBT, também foi seu sócio numa empresa que tinha sob seu guarda-chuva entre outras iniciativas o Parque do Gugu e o Fantasy Acqua Club.


Numa época em que ainda se parava a programação para fazer merchan, o Domingo Legal foi espaço de divulgação para diferentes marcas. Ali o apresentador foi garoto-propaganda de diversos produtos, inclusive dos próprios, e estrelou a campanha Junta, Brasil ao lado de Faustão, para a Nestlé.



Créditos: Moacyr dos Santos


 


Ainda nos anos 1990, numa ação orquestrada pela DM9, Gugu recebeu em seu palco todo o elenco dos Mamíferos da Parmalat.


Com uma carreira de mais de 40 anos de sucesso, Gugu acabou tropeçando ao levar ao ar uma entrevista forjada com integrantes do PCC. A repercussão negativa fez o Domingo Legal perder patrocínios e sair temporariamente do ar.


Apesar desse episódio, Gugu não esmoreceu e mais tarde acabou se transferindo para a Record TV, onde voltou a fazer sucesso apresentando diferentes realities, como Power Couple e Canta Comigo.


Marcelo Silva, vice-presidente artístico da Record TV, afirma que Gugu sempre será um dos maiores comunicadores da televisão brasileira. “Completo, fez um pouco de tudo na vida profissional”, diz.



O executivo afirma ainda que quando começou a apresentar o Power Couple Gugu fez a ele um pedido. “Queria uma plateia para interagir”. O executivo acredita ainda que o maior legado de Gugu é o carinho que ele conquistou ao longo da carreira.


 


A Record TV decidiu exibir os dois últimos programas de Canta Comigo, que já estavam gravados, mas ainda não têm planos para as atrações comandadas por ele. “Depois, vamos decidir o que fazer em 2020 com esses formatos”, diz Silva.


Voltar